Screen Shot 04-25-15 at 04.38 PM

15 provas de que tudo era permitido no Brasil nos anos 80 e 90

Via Buzzfeed

1. Podia fazer um chocolate para crianças que imitava cigarro — e estampar uma criança “fumando” na caixinha.

Podia fazer um chocolate para crianças que imitava cigarro -- e estampar uma criança "fumando" na caixinha.

Os cigarrinhos de chocolate Pan eram um sucesso nos anos 80. Só em 1996 a galera percebeu que talvez fosse meio perturbador, sem falar na má influência, ter uma criança “fumando” na embalagem. Aí o doce passou a ser vendido como “rolinhos de chocolate”.

2. Podia apresentar programa infantil com este figurino.

Podia apresentar programa infantil com este figurino.

Antes de estrear na Globo, em 1986, Xuxa apresentava o “Clube da Criança” bem à vontade na TV Manchete.

3. Podia anunciar um debate na eleição para presidente colocando uma arma na mão de cada presidenciável.

Podia anunciar um debate na eleição para presidente colocando uma arma na mão de cada presidenciável.

O SBT publicou este anúncio de página inteira nos principais jornais. Além de chamar para o debate entre Lula x Collor, em 1989, ainda tiraram um sarrinho da própria emissora, que à época disputava palmo a palmo a liderança de audiência com a Globo.

4. Podia fazer pôster de assistentes de palco de programa infantil sem camisa.

Podia fazer pôster de assistentes de palco de programa infantil sem camisa.

Os Marotos eram os ajudantes da Mara no “Show Maravilha”.

5. Podia botar duas crianças seminuas montadas numa moto para vender jeans.

Podia botar duas crianças seminuas montadas numa moto para vender jeans.

Essa propaganda saiu em um gibi do Pato Donald de 1980.

6. Podia botar uma criança + uma mulher nuas numa propaganda de perfume.

E, de quebra, podia passar muita, MAS MUITA Seiva de Alfazema. Assista ao comercial completo aqui:

7. Podia fazer uma propaganda com 15 segundos de uma criança irritante apenas repetindo “eu tenho, você não tem”.

8. Podia ilustrar a capa de um disco com um bebê de fio dental.

Podia ilustrar a capa de um disco com um bebê de fio dental.

O fio dental foi desenhado sobre a foto do bebê que ilustra a capa do “Carnaval dos Baixinhos”, da Xuxa, lançado em 1988. Note que o bebê menino tem uma folhinha de parreira que desafia as leis da perspectiva.

9. Podia pular carnaval sem calcinha (e sem tapa-sexo) na TV.

Podia pular carnaval sem calcinha (e sem tapa-sexo) na TV.

Em 1989, a modelo Enoli Lara foi a primeira mulher a desfilar nua no sambódromo carioca. Ela saiu pela União da Ilha.

10. Podia dublar músicas pintado assim.

Podia dublar músicas pintado assim.

Veja o Pablo, dublador oficial do “Qual É a Música” do Silvio Santos, em toda sua glória.

11. Podia sair na Playboy com 17 anos.

Se a Luciana Vendramini nasceu em dezembro de 1970 e foi capa da edição de dezembro de 1987, é só fazer as contas.

12. Podia cantar esse tipo de música em programa infantil.

Os Cascavellettes foram ao “Clube da Criança”, da Angélica, na TV Manchete, e fizeram essa apresentação muito adequada para a faixa etária do público:

13. Podia lançar uma banda cujo único hit era uma música de apenas dois versos: “seu pipi no meu popô/ seu popô no meu pipi”

O Vestidos no Espaço, na verdade, era formado por membros dos Titãs, Paula Toller, Jorge Mautner e o produtor Liminha. Lançaram um compacto em 1988, com “Pipi Popô”.

14. Podia sair na contracapa do disco infantil com o que parece ser um isqueiro na meia.

E essa cara.

Tudo isso na contracapa de “A Banda do Bozo”, disquinho de 1986.

15. E podia fazer uma capa de disco assim:

“Me Faz um Carinho” foi gravado em 1988 por ele mesmo, Gilberto Barros.


Não há comentários

Adicione o seu